SOCIOECONOMIC ANALYSIS FOR HIGH CAPACITY TRANSPORTATION – THE CASE OF CURITIBA’S SUBWAY

Luciana Costa Brizon, Milena Santana Borges, Romulo Dante Orrico Filho

Abstract


Brazilian cities face daily difficulties caused by congestion, with significant losses in quality of life for the population There are several problems that lead to this state of degradation. Among them, the lack of capacity of the various modes of public transportation to offer seats that meet the demand of passengers at peak hours stands out regarding passenger urban transport systems.  This article proposes to carry out a socioeconomic analysis of the gains brought by the reduction of congestion in terms of lower pollution, travel times, accidents and fuel consumption with the introduction of a higher capacity mode using a less polluting energy source. Also, and most importantly, it aims to analyze the possibility of financing subway implantation and expansion projects through the economy in the consumption of petroleum fuels. This would be possible with the substitution of the diesel consumed by the road transportation mode with the consumption of electricity by the subway mode. This evaluation was applied to the subway implementation project for Curitiba. The results show that the socioeconomic gains can finance a large part of the development and present significant gains in quality of life, reducing the levels of air pollutants, traffic accidents and displacement times for the population of Curitiba.


Keywords


Mobility, metrorail system, socioeconomic analysis

Full Text:

PDF (English)

References


AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA. ANNEL. Atlas da Energia Elétrica no Brasil – Energia no Brasil e no Mundo – consumo. 2008.. Disponível em: < http://www2.aneel.gov.br/arquivos/pdf/atlas3ed.pdf >. Acesso em: 06 set. 2016.

AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS. ANP. Informações sobre preço do barril de petróleo em 2011. Anuário da ANP 2010. Disponível em: < http://www.anp.gov.br/wwwanp/publicacoes/anuario-estatistico/2435-anuario-estatistico-2010>. Acesso em: 04 fev. 2017.

ALJOUFIE, M., BRUSSEL, M., Zuidgeest, M., VAN DELDEN, H., & Van Maarseveen, M. Integrated analysis of land-use and transport policy interventions. Transportation Planning and Technology, v.39, n.4, p.329-357, 2016

ARAGÃO, Joaquim José Guilherme; YAMASHITA, Yaeko; ORRICO FILHO, Romulo Dante. BRT in Brazil: Designing services in function of given infrastructure projects or designing infrastructure in function of established service quality patterns?. Research in Transportation Economics, v. 59, p. 304-312, 2016

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DAS EMPRESAS DE TRANSPORTES URBANOS. NTU. Avaliação comparativa das modalidades de transporte público urbano. 2009. Disponível em: < http://www.ntu.org.br/novo/upload/Publicacao/Pub635109537433018893.pdf.> Acesso em: 10 jan. 2017.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TRANSPORTE PÚBLICO. ANTP. Mobilidade Humana para um Brasil Urbano. São Paulo 2017. p. 13-37.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TRANSPORTE PÚBLICO. ANTP. Sistema de Informações da Mobilidade. Disponível em: < http://www.antp.org.br/sistema-de-informacoes-da-mobilidade/apresentacao.html >. Acesso em: 05 fev. 2017.

BANCO MUNDIAL. Estudo de Baixo Carbono para o Brasil – Relatório Síntese Técnica – Transportes. 2010. Disponível em: < http://siteresources.worldbank.org/BRAZILINPOREXTN/Resources/3817166-1276778791019/Relatorio_BM_Principal_Portugues_SumarioExecutivo.pdf/> Acesso em: 05 fev.2017.

BANCO MUNDIAL. World Bank (Staff Appraisal Report). Belo Horizonte Metropolitan Transport Descentralization Project e Recife Metropolitan Transport Descentralization Project. 1995. Disponível em: < http://documents.worldbank.org/curated/pt/774341468020698401/Brazil-Recife-Metropolitan-Transport-Decentralization-Project-and-Belo-Horizonte-Metropolitan-Transport-Project> Acesso em: 10 fev. 2016.

BERTOLINI, L.;SPIT, T. .Cities on rails: the redevelopment of railway areas. Londres. Milton Keynes 2007.

BRANDÃO, L. M. Medidores eletrônicos de velocidade: uma visão da engenharia para a implantação. Curitiba: Perkons, 2006. 150 p.

BRASIL. MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÃO E COMUNICAÇÃO. Estimativas Anuais de Emissões de Gases de Efeito Estufa no Brasil – 2012. Brasília, 2014. Disponível em: < http://sirene.mcti.gov.br/documents/1686653/1706227/Estimativas+2ed.pdf/0abe2683-e0a8-4563-b2cb-4c5cc536c336 > Acesso em: 10 dez. 2016.

BRASIL. MINISTÉRIO DAS CIDADES. Manual de BRT – Bus Rapid Transit – Guia de Planejamento (2008). Disponível em: < http://www.cidades.gov.br/images/stories/ArquivosSEMOB/Biblioteca/ManualBRT.pdf >. Acesso em: 12 dez.2016.

BRASIL. MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIAS. Disponível em: < www.mme.gov.br>. Acesso em: 10 jul. 2017.

BRASIL. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Inventário Nacional de Emissões Atmosféricas por Veículos Automotores Rodoviários 2013, Ano-Base 2012. Brasília, 2013. Disponível em: Acesso em: 12 dez. 2016.

BRASIL. MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES. Cálculo de Tarifas de Ônibus Urbanos. Instruções Práticas Atualizadas. 2a. Brasília : GEIPOT, 1996.

COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. CETESB. Qualidade do Ar no Estado de São Paulo 2009. 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 fev. 2017.

COMPANHIA BRASILEIRA DE TRENS URBANOS. CBTU. Disponível em: < http://www.cbtu.gov.br/index.php/pt/desempenho/relatorio-mensal-de-atividades>. Acesso em: 5 jan. 2017.

DARGAY, J.; GATELY, D. The demand for transportation fuels: Imperfect pricereversibility? Transportation Research, vol. 1, n. 4, p. 357-386, 2007.

DIAS, R.A.; BALESTIERI, J.A.P.; MATTOS, C.R. Um Exercício de Uso Racional da Energia: O Caso do Transporte Coletivo. 2006. Disponível em:< https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/6288> Acesso em: 05 mai. 2016.

FERRAZ, A. C. P.; RAIA JR., A. A.; BEZERRA, B. S. Segurança no trânsito. São Carlos: Nest, 2008. 280 p.

GELLER, Howard S. Revolução Energética: políticas para um futuro sustentável. Trad. Maria Vidal Barbosa. Relume Dumará, Rio de Janeiro, 2003.

GOMIDE, A. Transporte Urbano e Inclusão Social: Elementos para Políticas Públicas. IPEA. Brasília, 2003. (Texto para discussão, n. 960)

GUARIERO, L. L. N.;VASCONCELLOS, P. C.; SOLCI, M. C. Poluentes Atmosféricos Provenientes da Queima de Combustíveis Fósseis e Biocombustíveis: Uma Breve Revisão. Rev. Virtual Quim., 2011, 3 . Disponível em: Acesso em: 27 jun. 2017.

INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA. IPPUC. Disponível em: < http://curitibaemdados.ippuc.org.br/Curitiba_em_dados_Pesquisa.htm>. Acesso em: 12 nov. 2016

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. IPEA e ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TRANSPORTE PÚBLICO. ANTP. Redução das deseconomias urbanas com a melhoria do transporte público. Relatório final. Brasília, 1998. Disponível em: < http://www.ipea.gov.br/agencia/images/stories/PDFs/TDs/td_0586.pdf >. Acesso em: 13 abr.2016.

INSTITUTO DE POLITICAS DE TRANSPORTE E DESENVOLVIMENTO. ITDP. Manual de BRT – Guia de Planejamento. 2009. Disponível em: < http://itdpbrasil.org.br/manual-de-brt-guia-de-planejamento/>. Acesso em: 18 dez. 2016.

INTERNATIONAL ENERGY AGENCY. IEA. World energy statistics From the IEA 2008. Disponível em: < https://www.iea.org/media/weowebsite/2008-1994/WEO2008.pdf > Acesso em: 02 set.2016.

LA CONVECION MARCO DE LAS NACIONES SOBRE EL CAMBIO CLIMATICO. CQNUMC – Convenção Quadro das Nações Unidas para a Mudança do Clima (2004). Documento de Concepção de Projeto BRT Bogotá, Colombia: TransMilenio Phase II to IV. Disponível em: < https://cdm.unfccc.int/Projects/DB/DNV-CUK1159192623.07/view?cp=1 > Acesso em: 10 abr. 2017.

LANDMANN, M.C.; RIBEIRO, H.; DEÁK, C; Uma proposta metodológica para estimar o custo da poluição do ar nas análises de viabilidade de sistemas de transportes urbanos. TRANSPORTES, volume XV, número 1, junho de 2007. ISSN: 1415-7713.

LEITE, A. D. A energia do Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997. 528 p.

LIN, Boqiang; BENJAMIN, Nelson I. Influencing factors on carbon emissions in China transport industry. A new evidence from quantile regression analysis. Journal of Cleaner Production, v. 150, p. 175-187, 2017

Manual Operacional. Avaliação de Projetos de Transportes Urbanos. V.1. Empresas Brasileiras dos Transportes Urbanos – EBTU. Brasília. 1987.

MARINS, K.R. C. C.; ROMÉRO, M. A.. Avaliação do potencial da integração de condicionantes de mobilidade urbana no planejamento energético de áreas urbanas. Revista ANTP, n. 130 p.9-24, 2012.

MATTOS, T, M. Análise de Projetos de Redução de Emissão de Gases do Efeito Estufa no Setor de Transportes – Estudo de Caso dos BRTS no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: UFRJ / Escola politécnica, 2011.

ONU-HABITAT (Programa de las Naciones Unidas para los Asentamientos Humanos). Planificación y diseño de una movilidad urbana sostenible: Orientaciones para políticas: Informe mundial sobre asentamientos humanos 2013 .Resumen Ejecutivo. Nova Iorque: ONU-Habitat/Routledge. Disponivel em:< http://mirror.unhabitat.org/pmss/listItemDetails. aspx?publicationID=3501 > Acesso em: 10 mar. 2017.

PAGET-SEEKINS, Laurel; WALTERS, Jackie. Workshop 6 report: Reassessing public operations. Research in Transportation Economics, v. 59, p. 277-280, 2016.

PINHEIRO, A. C.; FONTES, J.; AZEVEDO, L. . Crise da mobilidade urbana no Brasil: custos econômicos e soluções. In: PINHEIRO, Armando Castelar et al. (Org.). Mobilidade Urbana: Desafios e Perspectivas para as Cidades Brasileiras. Rio de Janeiro: ELSEVIER, 2015. cap. 2, p. 37-74.

RIBEIRO, H.; ASSUNÇÃO, J. V. Historical overview of air pollution in São Paulo metropolitan area, Brazil: influence of mobile sources and related health effects. In: Urban Transport and Environment for the 21st Century III, ed. L. Sucharov and A. Brebbia. Publischer: Computational Mechanics Publication, Southampton, UK.351-60, 2001.

RIBEIRO, S., K., (org.) Barreiras na Implantação de Alternativas Energéticas para o Transporte Rodoviário no Brasil, Centro de Estudos Integrados Sobre Meio Ambiente e Mudanças Climáticas – Centro Clima - COPPE/UFRJ, Rio de Janeiro. 2002.

SCHAEFFER, R; SZKLO, A; MACHADO, M.; MARIANO, J.; SALA, J.; TAVARES. M.,; MAGRINI, A . 2004. Evolução do Mercado Brasileiro de Derivados de Petróleo e Perspectivas de Expansão do Parque de Refino Nacional até 2015. Projeto de pesquisa executado para o IBP. PPE/COPPE/UFRJ. Rio de Janeiro.

SILVA, A. H. Determinação da área de captação de uma estação de metrô por meio da utilização do modelo prisma espaço-tempo e padrão de viagens. Dissertação de Mestrado, Publicação T. DM-003A/2008, Departamento de Engenharia Civil e Ambiental, Universidade de Brasília. 2008.

SMALL, K. Fundamentals of Economic Demand Modeling: Lessons from Travel Demand Analysis. In Decision Making in Engineering Design, edited by K. Lewis, W. Chen and L Schmidt. New York: ASME Press, 2006.

SMALL, K. Urban Transportation Economics. Harwood Academic Plubishers, 1992.

SOUZA, G. A. Produção do espaço e mobilidade urbana: na contramão da sustentabilidade. Revista Produção e Desenvolvimento, v.1, n.3, p.42-51, 2015. Disponível em:< http://revistas.cefet-rj.br/index. php/producaoedesenvolvimento/article/view/109 > Acesso em: 10 jul. 2017.

TAVARES, M. E. E. Análise do refino no Brasil: estado e perspectivas - uma análise cross-section. 2005. 402p. Tese (Doutorado em Planejamento Energético) – COPPE, Universidade Federal do Rio de Janeiro. 2005.

UN-HABITAT (United Nations Human Settlement Programme). Planning and design for sustainable urban mobility. Global Report on Human Settlements Series. Nova Iorque: UN-Habitat. 2013. Disponível em:< http://bit.ly/2bSWeUD > Acesso em: 10 jul. 2017

URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S. A. URBS. Disponível em:< https://www.urbs.curitiba.pr.gov.br/transporte/estatisticas> Acesso em: 08 fev. 2017

VASCONCELLOS, E.A.; LIMA, I.M.O. Quantificação das Deseconomias do Transporte Urbano: Uma Resenha das Experiências Internacionais, Brasília, agosto de 1998.

VASCONCELOS, E.A. Transporte urbano nos países em desenvolvimento: Reflexões e Propostas. São Paulo: Annablume, 2000.

VIANNA, G. S. B. A relação entre mobilidade urbana e bem-estar através da abordagem das capacitações. 2016. 130 f. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Economia – Universidade Federal Fluminense (UFF), Niterói, Rio de Janeiro, 2016.

VIANNA, G. S. B.; YOUNG, C.E.F. Em busca do tempo perdido: uma estimativa do produto perdido em trânsito no Brasil. Revista de Economia Contemporânea (Impresso), v. 19, n. 3, p. 403-416, 2015.

VIEIRA, C.A.; SILVA, A. F. Aspectos da poluição atmosférica: uma reflexão sobre a qualidade do ar nas cidades brasileiras. publicação em 02/06.2017. Revista Ciência e Sustentabilidade - CeS Juazeiro do Norte, v.3, n. 1, p. 166-189, jan/jun 2017. ISSN: 2447-4606

VLT Carioca. Disponível em:< http://vltrio.rio/o-projeto/> Acesso em: 10 jul. 2017.




DOI: https://doi.org/10.32358/rpd.2018.v4.253

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2018 Revista Produção e Desenvolvimento

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.