A produção da erva mate (ilex paraguariensis) no contexto da agricultura familiar no município de Cruz Machado-PR

Vanderlei Marinheski

Resumo


A pesquisa teve como objetivo geral avaliar participação da erva mate (Ilex paraguariensis) no contexto econômico do Município de Cruz Machado no estado do Paraná, suas perspectivas de desenvolvimento local e geração de renda no sistema de agricultura familiar. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica e consulta on line nos principais órgão e secretárias, mais o trabalho de campo com a averiguação de algumas propriedades rurais do município de Cruz Machado. Nos sistemas de agricultura familiar a logística das ocupações do relevo está associada às características geomorfológicas e ao tamanho das propriedades agropecuárias. Em Cruz Machado predomina o sistema de agricultura familiar, e a erva mate sempre foi uma alternativa extra na complementação da renda dos produtores, e no ano de 2013 contribuiu em mais de 15% do PIB anual do município. E hoje a produção da erva mate representa uma complementação na renda das famílias do município de Cruz Machado, mas que poderá ter uma maximização de produção aliada a características geoecológicas da região e contribuir para o desenvolvimento local.

 

 


 

 


Palavras-chave


Erva mate; Agricultura familiar; Desenvolvimento local.

Referências


BOTELHO, R. G. M. Planejamento Ambiental em Microbacia Hidrográfica. In: GUERRA, A. J. T.; SILVA, A. S. do; BOTELHO, R. G. M. (orgs). Erosão e conservação dos Solos. Conceitos, Temas e Aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

CHECHI, L. A.; SCHULTZ, G. A produção de erva mate: um estudo da dinâmica produtivas nos Estados do Sul do Brasil. Goiânia: v.13, n. 23, 2016.

EMATER. Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural: Erva mate em Cruz Machado - PR. Curitiba, 2014.

EMBRAPA. Sistema brasileiro de classificação de solos. 2. ed. Rio de Janeiro: EMBRAPA-SPI, 2006.

IBGE. Cidades: Cruz Machado - PR. 2007. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2017.

IBGE. Cidades: Cruz Machado - PR. 2010. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2017.

IBGE. Cidades: Cruz Machado - PR. 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2017.

IBGE. Produção da extração vegetal e da silvicultura (2013). Rio de Janeiro, v. 28, p.1-69, 2013.

ITCG. Solos – Estado do Paraná. Instituto de Terras, Cartografia e Geociências, 2008.

KLOSTER, S.; CUNHA, L. A. G. Desenvolvimento Territorial e Turismo Rural: As relações possíveis. Revista Desenvolvimento em Questão. Ijuí – Rio Grande do Sul: vol. 12, n. 27, 2014.

LAMARCHE, H. (Coord.). Agricultura familiar: Comparação internacional. Tradução de Angela M. N. Tijiwa. Campinas: Unicamp, v. 1, 1993.

MAACK, R. Geografia Física do Estado do Paraná. 3. ed. São Paulo: contexto, 2002.

MALUF, R. S. Atribuindo sentido (s) à noção de desenvolvimento econômico. Estudos Sociedade e Agricultura, 2000.

MARTINS, S.R. O.; Desenvolvimento Local: questões conceituais e metodológicas. Revista Internacional de Desenvolvimento Local. Vol. 3, N. 5, p. 51-59, 2002.

MAZUCHOWSKI, J.Z. Manual da erva-mate. 1ª ed., n.1. Curitiba: EMATER - Empresa Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural, 1988.

NORDER, L. A. C. Mercantilização da agricultura e desenvolvimento sustentável. In: SCHNEIDER, S. (ed.) 2006. A diversidade da agricultura familiar. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2006.

PALHARES, J. M. Paraná: aspectos da geografia. 3. ed. Foz do Iguaçu, 2004.

REIS, J. Os lugares e os contextos – Tempo, espaço e mediações na organização das economias contemporâneas. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 30, junho, 1990.

ROCKEMBACK, I. F. Dados Históricos e Memórias de Cruz Machado. Cuiabá, 1996.

SCHUCHMANN, C. E. Z. Ações para a formulação de um protocolo de rastreabilidade de erva mate. Porto Alegre: UFRGS, Dissertação de Mestrado, 2002.

SAQUET, M.A., et al. Uma perspectiva para a abordagem da questão agrária no Paraná e atuação em projetos de desenvolvimento de base local. ROSAS, C. A. R. F. (Ogr). Perspectivas da geografia agrária no Paraná: abordagens e enfoques metodológicos. Ponta Grossa: Estúdio Texto, 2015.

SECCO JUNIOR, et.al. Novos mercados para erva mate. In. Anais do Seminário Erva-mate XXI: modernização no cultivo e diversificação do uso da erva-mate. 1. ed. Curitiba: Embrapa, 2016.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

SOUZA, M. L de. A teorização sobre desenvolvimento em uma época de fadiga teórica, ou: sobre a necessidade de uma “teoria aberta” do desenvolvimento sócio-espacial. Revista Território. Rio de Janeiro: v. 1, n. 1, 1996.

SOUZA, M. L de. Algumas notas sobre a importância do Espaço para o desenvolvimento social. Revista Território. Rio de Janeiro: ano II n.3, 1997.

WONS, V. Geografia do Paraná, Física, Humana e Econômica. 6. ed. Curitiba: Editora Ensino Renovado, 1984.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN: 2446-9580