ANALYSIS OF THE PRODUCTION AND MARKETING OF ORGANIC VEGETABLES IN THE STATE OF NEW YORK: A CASE STUDY

  • Humberto Davi Zen Universidade Federal de Santa Maria/ Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural
  • Janaína Balk Brandão Universidade Federal de Santa Maria/ Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural
Keywords: Horticulture, Alternative Markets, Farmer’s Markets, Online Sales, Certification

Abstract

The aim of this paper is to analyze the production and marketing structure of a certified family establishment for organic food production in New York State and compare it with the scientific literature. In order to establish a high coordination between the production and commercialization processes, the farmer uses a productive and business planning supported by detailed records of previous seasons and sales and constant attention to the movements and trends of the markets and of the consumers of his products. Thus, it is verified that the productive activities are oriented by a schedule elaborated according to the expectations of demand for each moment of the productive season. On the marketing side, organic certification proves to be a competitive advantage and a way of adding value to the product, and it enables access to different marketing channels, what allows the farmer to reach different groups of consumers. In this case, the direct marketing, especially in the Farmer's Market, is the most relevant marketing channel for both amount of products and revenue share.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Humberto Davi Zen, Universidade Federal de Santa Maria/ Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural
Graduado em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e Mestre em Extensão Rural pelo Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural/UFSM. Desde 2016 integra o Grupo Interdisciplinar de Pesquisas Agroalimentares Georreferenciadas (GIPAG). Concluiu em 2015 um intercâmbio de graduação sanduíche com duração de 18 meses na Washington State University (Washington - EUA), financiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES, Brasil (Programa Ciências sem Fronteiras). Possui envolvimento direto com projetos de pesquisa e extensão voltados aos campos do Sistema Agroalimentar global e local, bem como Sistemas de Inovação Tecnológica com enfoque no Agronegócio Brasileiro.
Janaína Balk Brandão, Universidade Federal de Santa Maria/ Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural
Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Santa Maria (2002), mestrado e doutorado em Extensão Rural pela Universidade Federal de Santa Maria (2005; 2011). Formada no Curso de Graduação Especial para Formação de Professores para a Educação Profissional, também pela universidade Federal de Santa Maria (2011). 
Atualmente é Professora Associada na Universidade Federal de Santa Maria (Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural) e no Programa de Pós Graduação em Extensão Rural, atua como Coordenadora Substituta do Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural (PPGExR) e é uma das líderes do Grupo Interdisciplinar de Pesquisas Agroalimentares Georreferenciadas.
Professora do Curso de Licenciatura em Educação do Campo, UFSM/Universidade Aberta do Brasil.

References

ALBERGONI, L; PELAEZ, V. Da Revolução Verde à Agrobiotecnologia: Ruptura ou Continuidade de Paradigmas? Revista de Economia, Curitiba, v. 33, n. 1, p. 31-53, jan./jun. 2007.

AMS. Organics Foods Production Act of 1990. Washington, DC: Agricultural Marketing Service - United States Department of Agriculture. 2005. 21 p. Available at: < https://www.ams.usda.gov/sites/default/files/media/Organic% 20Foods%20Production%20Act%20of%201990%20(OFPA).pdf>. Access in 06 feb. 2018.

ASSIS, R. L. Agroecologia no Brasil: análise do processo de difusão e perspectivas. Campinas. 2002. 150 p. Thesis (Doctorate in Applied Economics) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002.

BADUE, A. F. B. Inserção de hortaliças e frutas orgânicas na merenda escolar: as potencialidades da participação e as representações sociais de agricultores de Parelheiros. São Paulo. 2007. 265 p. Dissertation (Master in Public Health) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

BITTENCOURT, M. V. L. Impactos da agricultura no meio-ambiente: Principais tendências e desafios (Parte 1). Economia & Tecnologia, Curitiba, PR, y. 5, v. 18, p. 133-146, jul./sep. 2009.

BRASIL. Decreto n.º 6.323, de 27 de dezembro de 2007. Regulamenta a Lei n.º 10.83, de 23 de dezembro de 2003, que dispõe sobre a agricultura orgânica, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília DF, 27 dec. 2007. Available at: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6323.htm> Access in: 02 feb. 2018.

BRASIL. Mecanismos de controle para a garantia da qualidade orgânica. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Coordenação de Agroecologia. – Brasília : Mapa/ACS, 2008. 56 p.

BRODA, J. E.; TATE, R. P. Gross domestic product by state. Survey of Current Business. Washington, DC, Jul. 2015. Available at: <http://www.bea.gov/scb/pdf/2015/07%20 July/0715_gross_domestic_product_by_state.pdf>. Access in: 23 jun. 2016.

BROWN, C. et al. The importance of farmers’ markets for West Virginia direct marketers. Renewable Agriculture and Food Systems, Cambridge, v. 22, n. 1, p. 20–29, mar. 2007.

CAPORAL, F. R. Agroecologia: uma nova ciência para apoiar a transição a agriculturas mais sustentáveis. 1. Ed. Brasília: MDA/SAF, 2009. 30 p. ISBN: 978-85-60548-70-5.

CAMPOS, M. B. N. Impactos sociais, ambientais e econômicos da conversão para produção orgânica: o caso dos produtores de leite da bacia do Rio Paraná. Brasília, DF. 2016. 175 p. Dissertation (Master in Agribusinnes) – Universidade de Brasília, Brasília, 2016.

CARVALHO, L.M. et al. Produção orgânica consorciada de tomate e plantas aromáticas ou repelentes. Aracaju: Embrapa Tabuleiros Costeiros. nov. 2005.

CENCI. S.A. Boas Práticas de pós-colheita de frutas e hortaliças. In: NETO, F.N. (Org.). Recomendações Básicas para a Aplicação das Boas Práticas Agropecuárias e de Fabricação na Agricultura Familiar. 1.ed., Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2006. p.67-80.

DAPPER, T. B. et al. Potencialidades das macroalgas marinhas na agricultura: revisão. Revista em Agronegócios e Meio Ambiente, Maringá, v. 7, n. 2, p. 295-313, may/aug. 2014.

DAROLT, M. R. O papel do consumidor no mercado de produtos orgânicos. Agroecologia Hoje, a. 2, n. 7, p. 8-9, feb./mar. 2001.

DIAS, V. V. et al. O mercado de alimentos orgânicos: um panorama quantitativo e qualitativo das publicações internacionais. Ambiente & Sociedade, São Paulo, SP, v. 18, n. 1, p. 161-182, jan./mar. 2015.

FAO. Statistical pocketbook: World food and agriculture, Rome – Italy: Food and Agriculture Organization of the United Nations - FAO, 2015. 236p.

GEMMA, S.F.B.; TERESO, M.J.A.; ABRAHÃO, R.F. Ergonomia e complexidade: o trabalho do gestor na agricultura orgânica na região de Campinas-SP. Ciência Rural, Santa Maria, RS, v. 40, n. 2, p. 318-324, feb. 2010.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5 ed. São Paulo: Atlas, 206p. 2006.

GOVINDASAMY, R. et al. Producer satisfaction with returns from farmers market related activity. American Journal of Alternative Agriculture. Cambridge, v. 18, n. 2, p. 80–86, 2003.

GRAZIANO DA SILVA, J. A Nova Dinâmica da Agricultura Brasileira. Campinas: UNICAMP, 1996.

HARDESTY, S. D.; LEFF, L. Determining marketing costs and returns in alternative marketing channels. Renewable Agriculture and Food Systems, Cambridge, v. 25, n. 1, p. 24–34, 2009.

IFOAM. Into the future: Consolidated annual report of IFOAM. Bonn, Germany: Organics International, 2015. 24p.

IFOAM. Principles of organic agriculture. 4p. 2016. Available at: <https://www.ifoam.bio/sites/default/files/poa_english_web.pdf>. Access in 01 feb. 2017.

JESUS, E. L. Diferentes Abordagens de Agricultura Não-Convencional: História e Filosofia. In: AQUINO, A. M de. ASSIS, R. L. (Ed.) Agroecologia Princípios e Técnicas para uma Agricultura Orgânica Sustentável. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, 2005.

JOHNNY SEEDS. Standard Collinear Hoe – 7” Fixed Blade. Johnny’s Selected Seeds. Maine, 2018. Available at: <http://www.johnnyseeds.com/tools-supplies/long-handled-tools/hoes/collinear-hoes/standard-collinear-hoe-7%22-fixed-blade-9093.html>. Access in 06 feb. 2018.

KAMBARA, K. and SHELLEY, C. The California Agricultural Direct Marketing Study. Davis, CA: USDA-AMS and California Institute of Rural Studies, 2002.

KNEAFSEY, M. et al. Short food supply chains and local food systems in the EU: a state of play of their socio-economic characteristics. European Commission. Joint research center. Institute for prospective technological studies - Publication office of the European Union. 2013.

KHATOUNIAN, C. A. A reconstrução ecológica da agricultura. Botucatu: Agroecológica, 2001.

LIMA, P.C. et al. Manejo da adubação em sistemas orgânicos. In: LIMA, P.C. et al. Tecnologias para produção orgânica. Viçosa, MG: Unidade Regional EPAMIG Zona da Mata. p. 69-106, 2011.

LOTTER, D.W. Organic Agriculture. Journal of Sustainable Agriculture, Kutztown - PA, v. 21, n. 4, p. 59-128, 2003.

MADAIL, J. C. M.; BELARMINO, L. C.; BINI, D. A. Evolução da produção e mercado de produtos orgânicos no Brasil e no mundo. Revista Científica da AJES. Vale do Juruena, v. 2, n. 3, 2011. Available at: <http://www.revista.ajes.edu.br/index.php/RCA/article/view/ 52>. Access in: 23 jun. 2016.

MAPA. Mercado brasileiro de orgânicos deve movimentar R$ 2,5 bi em 2016. Brasília: Estatísticas Agrícolas – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, oct. 2015. Available at: <http://www.agricultura.gov.br/comunicacao/noticias/2015/09/mercado-brasileiro-de-organicos-deve-movimentar-rs-2-bi-em-2016>. Access in: 20 jun. 2016.

MELO, P. C. T.; VILELA, N. J. Importância da cadeia produtiva de hortaliças. Associação Brasileira de Horticultura, 2007. Available at: <http://www.abhorticultura.com.br/downloads/cad eia_produtiva.pdf>. Access in: 06 jun. 2017.

PORTAL BRASIL. Valor bruto da produção agropecuária de 2015 é de R$ 481,4 bilhões. Brasília: Portal Brasil – Produção Agrícola, oct. 2015. Available at: <http://www.brasil.gov.br/economia-e-emprego/2015/10/valor-bruto-da-producao-agropecuaria-alcanca-quase-r-500-milhoes-em-2015>. Access in: 06 feb. 2018.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5.ed. São Paulo: Editora Atlas S.A., 2013. 310p.

MAZOYER, M; ROUDART, L. História das Agriculturas no Mundo: Do Neolítico à Crise Contemporânea. São Paulo: Editora UNESP; Brasília: NEAD, 2010.

PACHAURI, R. K.; MEYER, L. A. (Eds.) Climate Change 2014: Synthesis Report. Contribution of Working Groups I, II and III to the Fifth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change., Geneva – Switzerland: Intergovernmental Panel on Climate Change, 2014. 151p.

PADUA-GOMES, J. B.; GOMES, E. P.; PADOVAN, M. P. Desafios da comercialização de produtos orgânicos oriundos da agricultura familiar no estado de Mato Grosso do Sul. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, v. 12, n. 1, p. 132-156, 2016. Available at: <http://www.rbgdr.com.br/revista/index.php/rbgdr/article/view/2124>. Access in 03 feb. 2018.

REDIN, E. Construção social de mercados: a produção orgânica nos assentamentos do Rio Grande do Sul, Brasil. Interações, Campo Grande, v. 16, n. 1, p. 55-66, jan./jun. 2015.

RENTING, H.; MARSDEN, T.; BANKS, J. Compreendendo as redes alimentares alternativas: o papel de cadeias curtas de abastecimento de alimentos no desenvolvimento rural. In: GAZOLLA, M.; SCHNEIDER, S. Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas: negócios e mercados da agricultura familiar. Porto Alegre – RS: Editora da UFRGS, 2017. 520 p.

SANTOS, D. S. C. et al. Desempenho de agricultores familiares na comercialização de produtos orgânicos e agroecológicos no estado do Pará. Acta Biológica Catarinense, Joinville, v. 4, n. 2, p. 16-29, 2017.

SANTOS, I. C.; CARVALHO, L. M. Produção sustentável de hortaliças. Circular Técnica EPAMIG, n. 182, apr. 2013. 5p.

SCALCO, A. R. et al. A Independência da Escolha dos Canais de Marketing nas Rendas dos Produtores Orgânicos Americanos. Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, v. 55, n. 4, p. 767-782, 2017. Available at: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-20032017000400767&script=sci_arttext>. Access in 03 feb. 2018.

SCHNEIDER, S. Mercados e Agricultura Familiar. In: Construção de Mercados e Agricultura Familiar: Desafios para o Desenvolvimento Rural. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2016. Chapter 4, p.93-140.

SCHUBERT, M.; SCHNEIDER, S. Construção social de mercados e as tendências de consumo: o caso do Pavilhão da Agricultura Familiar da EXPOINTER (RS). Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo, v. 52, n. 3, p. 373-382, set./dez. 2016. Available at: <http://www.r edalyc.org/html/938/93849899009/>. Access in 03 feb. 2018.

SPROESSER, R. L.; LIMA FILHO, D. O. Varejo de alimentos: estratégia e marketing. In: Gestão Agroindustrial. Org. Batalha, M. O. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2007.

SEDIYAMA, M.A.N. et al. Compostos orgânicos produzidos com resíduos vegetais e dejetos de origem bovina e suína. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE AGROECOLOGIA, 7., 2011, Fortaleza. Anais 7º Congresso... Fortaleza, p. 1-5, 2011.

SEDIYAMA, M.A.N.; SANTOS, I.C.; LIMA, P.C. Cultivo de hortaliças no sistema orgânico. Revista Ceres, Viçosa, v. 61, sup. p. 829-837, nov./dec. 2014.

SFREDO, G. J.; LANTMANN, A. F. Enxofre: Nutriente necessário para maiores rendimentos da soja. Circular Técnica Embrapa, Londrina, n. 53, sep. 2007. 6p.

STEPHENSON, G.; LEV, L. Common support for local agriculture in two contrasting Oregon communities. Renewable Agriculture and Food Systems, Cambridge, v. 19, n. 4, p. 210–217, 2004.

THILMANY, D.; WATSON, P. The increasing role of direct marketing and farmers markets for western US producers. Western Economics Forum - Department of Agricultural and Resource Economics of Colorado State University, v. 3, n. 2, p. 19–25. apr. 2004.

USDA. National Organic Program. United States Department of Agriculture – Agricultural Marketing Service. 2018. Available at: <https://www.ams.usda.gov/about-ams/programs-offices/national-organic-program>. Access in 05 feb. 2018.

WILLER, H.; LERNOUD, J. (Ed.) The world of organic agriculture: Statistics and emerging trends 2016. Frick – Switzerland: Research Institute of Organic Agriculture (FiBL), Frick, and IFOAM, 2016. 340p.

WORLD BANK. World development indicators database. The World Bank. 2016. Available at: <http://data.worldbank.org/indicator/SP.POP.TOTL/countries/1W?order=wbapi_data_value_2011%20wbapi_data_value%20wbapi_data_valuefirst&sort=asc&display=graph>. Access in 15 jun. 2016.

Published
2018-04-21
How to Cite
Zen, H. D., & Brandão, J. B. (2018). ANALYSIS OF THE PRODUCTION AND MARKETING OF ORGANIC VEGETABLES IN THE STATE OF NEW YORK: A CASE STUDY. Revista Produção E Desenvolvimento, 4(2), 1-20. https://doi.org/10.32358/rpd.2018.v4.295
Section
Articles