TECHNOLOGICAL PARKS: ECONOMIC LEVERAGE OF THE ENVIRONMENT.

Keywords: technology parks, innovation, skilled jobs, economic results

Abstract

This paper presents the results of a bibliometric research on how technology parks leverage the economy to their environment. From analyzes in reports of the MCTI, Anprotec, Sebrae and ABDI, it was possible to collect the results for this study. The results suggest a significant contribution of these ecosystems, with social and economic impacts in the regions where they are installed. According to estimates by MCTI (2014), the country's scientific and technological parks have a total of 939 companies, with a concentration in the South (40%), Northeast (32%) and Southeast (25%). These generated more than 32,237 direct jobs. The study by Anprotec / Sebrae (2016) indicates that the expenses of the incubated companies result in a total of R $ 1,299,645,783.17 in income for other sectors of the economy and foment a total of 35,777 indirect jobs, and that graduated companies generate R $ 21,802,099,239.45 in national production and R $ 12,280,929,318.43 in income, in addition to the generation of 338,071 indirect jobs, totaling R $ 24,109,335,573.61 in national production, an income of R $ 13,580,575,101, 59 and 373,847 indirect jobs.

Downloads

Download data is not yet available.

Author Biographies

Jonatas Oliveira, Universidade Comunitária da Região de Chapecó
2016 - Bacharel em Adminsitração pela Unochapecó2016 -Bolsista no Grupo de Pesquisa Controle de Gestão e Desenvolvimento na Unochapecó2015 - Bolsista no Grupo de Pesquisa Avaliação de Desempenho em Cadeias de Valor na unochapecó
Fabiano Marcos Bagatini, Universidade Comunitária da Região de Chapecó
Graduação em Administração pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (1999), especialização em Economia de Mercado e Estratégias de Negócios pela Universidade Comunitária Regional de Chapecó (2002), especialização em MBA Finanças pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (2009), mestre em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2007). Atualmente é professor do curso de Administração em regime de tempo integral na Universidade Comunitária da Região de Chapecó - UNOCHAPECÓ. Com experiência na área de Administração, ênfase em Administração Financeira.
Rodrigo Barichello, Universidade Comunitária da Região de Chapecó
Graduado em Administração Empresarial (2008) e Pós-Graduado em Economia Empresarial pela Universidade Comunitária Regional de Chapecó (2008). Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Maria/UFSM (2010). Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina/UFSC (2015). Professor Titular da Universidade Comunitária da Região de Chapecó-SC.(UNOCHAPECO). Tem experiência na área de Administração e Engenharia, com ênfase em Engenharia Econômica, Finanças, Qualidade e Produtividade. Participou do IX Programa de Jóvenes Líderes Iberoamericanos representando o Brasil na União Européia/Ano 2010 pela Fundación Carolina. É integrante do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Engenharia de Produção - NUPEP - UFSM, do Laboratório de Sistemas de Apoio ao Desenvolvimento de Projetos e Investimentos - LabSAD/UFSC. Atuou como Tutor-Docente no Curso de Administração à Distância da UFSC.
Marcio Paixão Rodrigues, Universidade Comunitária da Região de Chapecó
Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Católica Dom Bosco (1996) e mestrado em Economia com ênfase em finanças pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004). Especialização em Economia Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Atualmente é professor titular da Universidade Comunitária da Região de Chapeco (Unochapecó). Tem experiência na área de Economia, com ênfase em modelos econométricos.
Renato Francisco Habas
Pós graduação em andamento em MBA Empreendedorismo e Inovação

References

ABDI. Projeto Parques Tecnológicos no Brasil Estudo, Análise e Proposições. Abril, 2007.

AMARAL, Roberto Rogério do. A arquitetura da liderança nos Parques Científicos e Tecnológicos da Catalunha: uma abordagem estratégica / Roberto Rogério do Amaral; orientador, Cristiano José Castro de Almeida Cunha; coorientador, Francisco Antonio Pereira Fialho. - Florianópolis, SC, 2014.

ANPROTEC. Estudo de impacto econômico: segmento de incubadoras de empresas do Brasil / Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores. – Brasília, DF : ANPROTEC : SEBRAE, 2016.

ARAÚJO, Ronaldo Ferreira. A bibliometria na pesquisa científica da pós graduação brasileira de 1987 a 2007. R. Eletr. Bibliotecon. Florianópolis, v. 16, n. 31, p.51-70, 2011.

BERMÚDEZ, L. A. SPOLIDORO (1997), R. A Sociedade do Conhecimento e seus impactos no meio urbano. In: PALADINO, G. G. MEDEIROS, L. A. (org.) Parques Tecnológicos e Meio Urbano: Artigos e Debates. Brasília: ANPROTEC, 1997

CRUZ, Franciane Cougo da; et al. Tríplice Hélice na região da campanha: um ensaio teórico como fator estratégico de inovação e desenvolvimento. FACEF Pesquisa: Desenvolvimento e Gestão, v.16, n.3, p.281-300, 2013.

GOMES, Myller Augusto Santos; COELHO, Tainá Terezinha; GONÇALO, Cláudio Reis. Tríplice Hélice: a Relação Universidade-Empresa em Busca da Inovação. Revista Gestão.Org, v. 12, n. 1, 2014.

GOMES, Myller Augusto Santos; PEREIRA, Fernando Eduardo Canziani. Hélice Tríplice: um ensaio teórico sobre a relação universidade-empresa-governo em busca da inovação. Int. J. Knowl. Eng. Manage., ISSN 2316-6517, Florianópolis, v.4, n.8, p.136-155, mar/jun. 2015.

HAUSER, G. Parques Tecnológicos e Meio Urbano. In: PALADINO, G. G.; MEDEIROS, L. A. (org.). Parques Tecnológicos e Meio Urbano: artigos e debates. Brasília: ANPROTEC, 1997.

HORÁCIO, F.. O Desafio de Implantar Parques Tecnológicos, 2008. Disponível em: http://www.anprotec.org.br/Relata/ArtigosCompletos/ID%20143.pdf Delimitando_o_framework_de_implantacao_de_parques_tecnologicos_parte4.pdf. Acessado em julho de 2016.

MANUAL DE OSLO. Diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação.3 ed. Finep, 2005. http://www.finep.gov.br/images/apoio-e-financiamento/manualoslo.pdf Acessado em julho de 2016.

MCTI. Estudo de Projetos de Alta Complexidade: indicadores de parques tecnológicos / Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico. Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação – Brasilia: CDT/UnB, 2013.

MCTI. Parques & Incubadoras para o desenvolvimento do Brasil: Estudo de Práticas de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas / Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI ; − Brasília : MCTI, 2015.

Parques & Incubadoras para o Desenvolvimento do Brasil : Propostas de Políticas públicas para Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas/ Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação – MCTI ; − Brasília : MCTI, 2015.

STEINER, J. E., CASSIM, M. B., ROBAZZI, A. C. Parques Tecnológicos: Ambientes de Inovação. Disponível em: http://www.iea.usp.br/publicacoes/textos/steinercassimrobazziparquestec.pdf. Acesso em: julho de 2016.

TIDD Joe; BESSANT John; PAVITT Keith. Gestão da inovação. Tradução Elizamari Rodrigues Becker... [et al].- 3. ed. -Porto Alegre : Bookman, 2008.

VICO MAÑAS, A. Gestão de Tecnologia e Inovação. 3 ed. rev. atual. São Paulo. Érica, 2001.

Published
2017-12-01
How to Cite
Oliveira, J., Bagatini, F. M., Barichello, R., Rodrigues, M. P., & Habas, R. F. (2017). TECHNOLOGICAL PARKS: ECONOMIC LEVERAGE OF THE ENVIRONMENT. Revista Produção E Desenvolvimento, 3(3), 43-54. https://doi.org/10.32358/rpd.2017.v3.219