É o diário filosófico uma possibilidade de resistência em tempos sombrios?

  • Marcio Nicodemos UERJ
Palavras-chave: Filosofia; Resistência; Tempos sombrios

Resumo

O artigo propõe a reflexão sobre uma possibilidade de resistência em tempos sombrios por meio da escrita de um diário filosófico. Para isso, em um primeiro momento intitulado “Sobre(viver) e pensar em tempos sombrios...” busca pensar o que é viver/ falar/ pensar em tempos sombrios; em um segundo momento intitulado “Há uma possibilidade de resistência?” busca pensar de onde poderia vir a inspiração para resistir em tempos sombrios; e em um terceiro momento intitulado “Escrever um diário filosófico!” busca pensar como poderia vir a ser uma escrita de resistência em tempos sombrios. Trata-se de um estudo de natureza teórica feito por meio de investigação conceitual em fontes bibliográficas diversas.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENDT, Hannah. Homens em tempos sombrios. Tradução de Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das letras, 2008.

BARROS, Manoel. Poesia completa. São Paulo: Leya, 2010.

BARROS, Vanessa; SILVA, Luciana; BARROS, Carolyne (orgs.). Relatos do cárcere: pequeno vocabulário de afetos do cotidiano prisional. Belo horizonte: Instituto DH, 2019.

BRECHT, Bertold. Aos que vierem depois de nós (poema). Tradução de Manuel Bandeira. Caderno Mais!, jornal Folha de São Paulo, edução de 07/07/2002.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Kafka: por uma literatura menor. Tradução de Julio Castañon Guimarães. Rio de Janeiro: Imago editora, 1977.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: Ditos & Escritos V: Ética, Sexualidade, Política. Organização de Manoel Barros da Motta. Tradução de Elisa Monteiro e Inês Barbosa. Rio de Janeiro: Forense universitária, 2004.

FRANK, Anne. O diário de Anne Frank. Rio de Janeiro: Record, 1995.

GAGNEBIN, Jeanne-Marie. Lembrar, escrever, esquecer. São Paulo: Editora 34, 2006.

LIMA, William da Silva. Quatrocentos contra um: uma história do Comando Vermelho - 2. ed. - São Paulo: Labortexto Editorial, 2001.

LÍSIAS, Ricardo. Diário da catástrofe brasileira - ano I - o inimaginável foi eleito. Rio de Janeiro: Record, 2020.

LOURENÇO, Samuel. Além das grades. Rio de Janeiro: Multifoco, Notaterapia, 2018.

MARTINS, Aulus Mandagará. O corpo e a voz da prisão: testemunho e experiência na literatura de cárcere. In: Acta Scientiarum. Language and Culture Maringá, v. 35, n. 3, p. 193-202, July-Sept., 2013.

MENDES, Igor. A pequena prisão. São Paulo: N-1 Edições, 2017.

MENDES, Luiz Alberto. Memórias de um sobrevivente. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

PIRES, Thula; FREITAS, Felipe (orgs.). Vozes do cárcere: ecos da resistência política. Rio de Janeiro: Kitabu, 2018.

PRADO, Jocenir. Diário de um detento: o livro. São Paulo: Labortexto Editorial, 2001.

SÁ, Dominichi Miranda de; SANGLARD, Gisele; HOCHMAN, Gilberto; KODAMA, Kaori (org.). Diário da pandemia - o olhar dos historiadores. São Paulo: HUCITEC Editora, 2020.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. O Local do testemunho. In: Revista Metamorfoses v. 10, n. 2, 2010. Disponivel em: https://revistas.ufrj.br/index.php/metamorfoses/article/view/21820/12159 Acesso em: 14/04/2021.
Publicado
2021-12-24
Como Citar
Nicodemos, M. (2021). É o diário filosófico uma possibilidade de resistência em tempos sombrios?. Estudos De Filosofia E Ensino, 2(2), 22-36. Recuperado de https://revistas.cefet-rj.br/index.php/estudosdefilosofiaeensino/article/view/536
Seção
Artigos