Políticas Inclusivas em Diálogo com a Educação Tecnológica

  • Willian Silva de Paula CEFET-RJ
  • Maristela Abadia Guimarães CEFET/RJ
  • Glaucia Mara de Barros CEFET/RJ
Palavras-chave: Políticas de Inclusão, NUMDI, Censo Etnicorracial.

Resumo

Este artigo pensa o ensino profissionalizante como mecanismo para promover as políticas inclusivas, por meio de ações de pesquisa. Para isso, apresenta um breve histórico da Rede Federal de Educação Tecnológica, as mudanças ocorridas na Instituição até 2008, quando o Governo Federal cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia e, a partir dessa criação, como a pesquisa tem sido pensada e proposta para incluir estudantes desassistidos de políticas públicas educacionais. Apresenta também a criação do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros, Indígena e de Fronteira e o Projeto Mapeando a cor no IFMT: I Censo Etnicorracial dos estudantes do IFMT que permitirá a escritura I Relatório Sobre o Perfil Etnicorracial dos Estudantes do IFMT como instrumentos para estudos comparativos que venham avaliar a realidade socioeducacional dos estudantes em todos os seus campi, de acordo com suas singularidades, e abrir múltiplos caminhos para outras pesquisas a partir dos dados obtidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Willian Silva de Paula, CEFET-RJ
Mestre em Educação. Docente na área de Língua Português e Inglês. Diretor Geral Pró-tempore do IFMT – Campus Confresa
Maristela Abadia Guimarães, CEFET/RJ
Mestre em Educação. Docente na área de Língua Portuguesa e Literatura. Coordenadora de Pesquisa e Inovação. Coordenadora NUMDI – IFMT - Campus Fronteira Oeste – Pontes e Lacerda
Glaucia Mara de Barros, CEFET/RJ
Especialista em Direito. Advogada. Diretora Geral Pró-tempore do IFMT – Campus Fronteira Oeste – Pontes e Lacerda.
Publicado
2012-11-13
Seção
REVISTA TEMÁTICA